Ao Cubo é um grupo de rap, com origens em São Paulo, Brasil. Teve início em 2003 e continua ativo até hoje, lançando cinco álbuns.

Feijão, Cléber, Dona Kelly (MCs) e Fjay (DJ) são os integrantes do Ao Cubo, que começou sua carreira em 1996 com Alternativa C, onde lançaram apenas um trabalho, o single Apenas Começando, com MC Dom, contando com Feijão e Fjay. Decidiram encerrar as atividades, mas Fjay quis criar um novo grupo, e então surgiu o Ao Cubo.

Confira quais são as músicas mais tocadas da banda Ao Cubo:

10. Quem Te Viu (ft.thalles Roberto)

Eu vi e vivi varias fitas, que cê nem acredita
(Meu Deus do céu)
Aventura quantas prova vida dura mundo a fora
Com a corda no pescoço era osso
(Gosto de fel)
Tudo mais difícil sacrifício pra conquistar
(Hey, se não fosse o rei pra ajudar)
Não deixou faltar nada

Eu sei, foi assim comigo também
E como eu errei, tentando acertar na vida
Entrei num mundo de ilusão que parecia sem saída
Mães iguais a minha choraram
(Quantos amigos se foram)

No processo de pressa pra se ter
As motonas e os carango faz os neguinho morrer
Quem me viu, quem me vê agora nesse instante
Vai perceber que outrora eu vivia bem errante
Sem sentido, sem rumo, sem prumo e melhora
Mas o favor não merecido me alcançou e agora
(Estamos bem melhor, com motivos pra cantar)
E em meio a batalhas sinto paz (sinto paz)
Sem receio cheio de alto estima e mais sagaz

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Oooh se enganou quem achou que eu não ia ficar bem
(Acharam que eu estava derrotado
Quem achou estava errado)

Minha vida foi assim, mil volts
Minha mãe chorava, orava por mim toda noite
E os mano na rua dá dois e relaxa
Que até do seus problemas você vai achar graça
Foi a onde eu me envolvi e comecei na droga
E no futuro breve tava com a vida torta
Entrei pro crime bem cedo, e não tive medo
Até quando me vi ali preso
A mamãe se humilhando pro PM
Quando lembro da cena te juro minh’alma geme
E quando vi tudo aquilo eu prometi (vou mudar)
Foi quando eu ouvi a música de alguém que dizia
(Deixa tudo então, vem)
E hoje eu to bem, não sou mais refém da droga e de quem
Tentou me matar

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Por mais que alguém, tente lhe dizer, que você não vale nada
E se a vida inteira a sensação que tem
É de que ninguém te enxergava

Aquele é invencível o Deus do impossível
Quer mudar a sua história
Entregue seu caminho, você não esta sozinho
De um passo pra vitória

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Meu Deus, como foi difícil, pensei em desistir pela metade
Ah, quem me viu e quem me vê
(Ah, quem te viu e quem te vê)

Olha o que ele fez comigo

Jesus pode escrever a sua história
Olha o que ele fez comigo

9. Tche Güe Die

Quem é que tem a receita de viver feliz?
Bem a pampa até a tampa então diz, hein?
Sem B.O. Sem pó. Natural, distante, bem longe de todo o mal?
Uau! É sensacional, estilo de vida, me chamam de louco
E eu acho que sou mesmo um pouco
Fica de tropa, é dica pra essa hora
Se embora, se embola com a gente, se solta
Levanta sua mão pro alto em direção
Ao único que pode mudar sua situação
Jinga, swinga seu corpo e esquece
O que te entristece, isso vinga, faça um teste
Estresse com nós não tem vez
Sai Zica que, eu sou filho do Rei dos reis
Ele que me fez, então, Ele me conhece
Tudo no Seu controle, tiolzão, acontece

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Quem é que vai falar?
Ou vai contradizer?
Que, eu sou feliz e pá!
Na, na na na na

E se a deprê te pegou
Sai Zica, que essa fita nunca prestou
É tiriça Bro se liga, sai dessa
Tô zuadão tiozão
Xiii, as conversa
Problema todo mundo tem, é normal!
Vem e tira, a paz de quem tá bem! Vai, deixa mal!
E sem querer e sem você deixar
A deprê tira a paz sem você convidar
É como um frio vazio que não acaba
Um rio que mata afogado sem água
E por um fio para, sara e volta
Tranca um sujeito num quarto, sem janela e sem porta
Iiih, sai fora
Hoo, se joga
Expulsa da sua vida, isso não te pertence mais
Iiih, sai fora
Hoo, se joga
Não te pertence mais, não te pertence mais

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Quem é que vai falar?
Ou vai contradizer?
Que, eu sou feliz e pá!
Na, na na na na

Quem é que vai falar?
Ou vai contradizer?
Que, eu sou feliz e pá!
Na, na na na na

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

Tche, tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die
Tche-gue-die-gue-die, eu tô à pampa

8. Abençoado Por Deus

Foi numa noite de frio
Que eu te encontrei com o coração vazio, filho.
Perdido e sem rumo
Sem prumo e sem direção
Sem o mínimo de percepção
Sem saber pra quem estender a mão
E uma matilha de lobo na rua te cercando
Pronta pro bote pra te pegar
E a morte encaminhada
Que veio naquela calada
Na sede, pronta pra matar
Passou o nome que tem poder pra te livrar
Passou pelo sangue de Jesus que veio te salvar

Eu sempre ouvi uns aqui e ali
Dizerem que, que você se perdeu
Se corrompeu pro inimi…
E que, pra ti, não existe mais solução
E que sua família lavou a mão

Foi numa noite de frio

Senhor, neste momento me coloco em sua presença
Meu coração cheio de mágoa pede clemência
Já não suporto mais tanta tristeza
Sentimento opaco, fraco, cheio de frieza
Sem a certeza de um futuro melhor
Quanto mais falo de união, mais me vejo só
Bem pior é ver ao meu redor os parceiros
Alimentando ódio e maldade o tempo inteiro
Por dinheiro, status, ego, vaidade
Vejo os manos se matando, semeando a rivalidade
Relativa é a paz do mundo que eu vivo
Num minuto vira tudo sem qualquer motivo
O mal arrasta, afasta, feri, causa dor
Quem ontem era amigo hoje já não vê mais valor
Em lealdade, honestidade, sinceridade
Amizade de verdade
Já não se sabe mais quem é quem
Decepção com o ser humano é o que mais se tem
Você ali acreditando que o fulano é firmeza
Sangue do seu sangue, sincero, sem fraqueza
Que não mede seu valor pelo que você tem
É nós que tá, tamo junto
Não tem pra ninguém
Conversa bem, muito bem
Mas a mixa caiu
Falsário, interesseiro, classifica seu perfil
Hostil são várias fitas, mil caras, mil bocas
Mil modos, mil jeitos, mil maneiras loucas de ser
Lamento ver, amor próprio não existe
Saber que os humanos podem ser assim é triste
Amargas, rancorosas, fracas mentalmente
Sem fé nem futuro, consequentemente
Senhor, por favor abençoe minha gente
Ilumine suas vidas espiritualmente

Foi numa noite de frio
Que eu te encontrei com o coração vazio, filho
Perdido e sem rumo
Sem prumo e sem direção
Sem o mínimo de percepção
Sem saber pra quem estender a mão (estender a mão)
E uma matilha de lobo na rua te cercando
Pronta pro bote pra te pegar (te pegar)
E a morte encaminhada
Que veio naquela calada
Na sede, pronta pra matar

Se vai ao fim
Eu tô cheio de vê
Os “Irmãozin” se perder
“Sozin” no role
Sem freio no meio da vida
Porque, parece que nem querem nem saber
O que tem a dizer mais a gente continua Dexter

Por natureza
Eu sou um cara preocupado com as pessoas
Pro mundo desejo paz, coisas boas
Que minha música ensine
As crianças a pensarem
Saberem que o caminho é
Estudar e se formarem
Darem orgulho aos seus pais
Serem felizes
Fazer valer a pena apesar das cicatrizes
Que ao longo do tempo
Se farão presente
Ganhar e perder lição que a gente aprende
Descobre que o amor poder vencer o mal
E que ter humildade é fundamental
Errar não é o fim
Diz pra mim quem não erra?
Jesus foi o único perfeito na terra
Mas reconhecer o erro sim, é sabedoria
É transformar a dor em ritmo e poesia
É crescer e ser digno de conceito
Merecedor de um qualificado respeito
É desse jeito
Quais são os verdadeiros valores?
Viver em harmonia ou no mundo de horrores?
Chega de flores jogadas ao vento por nada
A fé sem obras é morta e sepultada

Veja Também!  10 músicas para cantar na Santa Ceia - Parte 1

7. Mil Desculpas

“-Eu? Eu só vim tirar uma duvida…”
“-Aí senhora, aguarda no pátio aí!”

Não queria um encontro nessa circunstância,
Preferia um churrasco, futebol com crianças
Mas eu que vacilei desculpa ai essa errata,
Do meu jogo sujo, coração de barata
Um bicho que mata com ódio e covardia
Minha cabeça maquinava vazia
Mas tem alguma coisa aqui dentro que me corrói
Assassinei seu super-herói,
Desculpa aí pelo rancor,
Mais um coração posto a prova da dor,
Que horror, entendo
Que não tem volta, é um buraco sem remendo,
Agora não adianta mas de tudo eu me arrependo

(Dona Kelly)
Tudo que eu tinha você me tirou, meu filho, meu sorriso todo amor.

Te chamei aqui
Pra dizer o quanto eu sinto
É embaçado não adianta,
Mas tô arrependido,
Três anos atrás do muro
Guardado no fundo
De uma cela abarrofada,
Cheio de fungo,
Banheiro imundo com cheiro das trevas,
Calor absurdo, tuberculose prolifera,
Nessa luz escura, num clima de tortura
Quis ser mais esperto quase fui pra sepultura,
A monstruosidade que eu sempre apliquei,
Ta dentro da cela comigo é um armazém,
Eu que fiz refém aqui sou aprendiz,
Reflito como foi desonesto o que eu fiz
Não é que isso aqui reabilitou o infeliz,
Mas é porque agora encontrei meu juiz,
Eu de cabeça baixa, sem força, indefeso,
E cansado das mágoas, da dor, do desprezo,
Nada mais me importava o crime os presos
Como se cada lágrima tirasse um peso.

REFRÃO (Dona Kelly)
O passado e a saudade como posso apagar
Impossível esquecer, não é fácil perdoar.
O passado e a saudade como posso apagar
Impossível esquecer, não é fácil perdoar.

Pela sua voz eu entendo o sofrimento,
Deve ser difícil perdoar, eu lamento,
Jesus me perdoou pela perda, pela dor,
Espero que a senhora também um dia me perdoe,
Não sei se a senhora acredita em transformação,
Eu não acreditava e Deus mudou um ladrão,
Explicar com palavras é embaçado e não,
Tem palavra o suficiente pra explica a conversão,
Eu sei que pedir mil desculpas não adianta
Mesmo as mil desculpas sendo verdadeira e franca,
Minha humilhação não devolve a esperança,
O orgulho que te arranquei e que agora sangra
E molha o seu rosto com melancolia,
E escorre como choro de amor e agônia,
Quanto vale essa tormenta trágica
Me fale por favor o preço de uma lágrima!

(Dona Kelly)
Lágrimas não tem preço meu rapaz,
Só eu sei a falta que ele me faz,
Agora está tudo acabado,
Jamais a vida volta pra traz,
Meu conselho era simples,
Não roube
Trabalhe e conquiste,
Eu vim até aqui pra saber o porque
Você cometeu esse crime?

Talvez pelo país onde todo mundo deve,
Onde todo mundo rouba, sei lá,
Tem mão leve,
Desde do primeiro cidadão de Portugal,
Se é desde do começo e imagine o final,
O motivo era banal um pouco mais de um real,
Nem sei porque matei, talvez respeito e tal…

(Acabou não quero seu dinheiro,
eu não quero nada seu,
a fita era pra ontem, rapa ,
ai dona seu filho vai subir!)

(REFRÃO)
O passado e a saudade como posso apagar
Impossível esquecer não é fácil perdoar.
O passado e a saudade como posso apagar
Impossível esquecer não é fácil perdoar.

Não era a cara dele, na verdade a de ninguém,
Era pra ele tá na aula e, e eu também,
Ele não tinha malícia, só IBOPE com as “Patricia”
Mas tava me atrasando e pior,
Virou notícia,
Senhora perdoe a minha aberração,
Por ter matado seu filho eu te peço perdão,
Ainda sonho com seu rosto e não esqueço dos seus gritos
(não meu filho, não, não, não meu filho)
Quando atirei no peito do menino…

(Dona Kelly)
Ah! Eu não pude acreditar
Eu corri, corri, eu corri,
Mas não consegui lhe salvar.
Ah! O meu filho deitado sem forças
No meu colo mexendo a boca
Tentando falar…

“Mãe sua voz ta ficando distante
Não solta da minha mão não, em nenhuma instante,
To ficando com medo e essa poça de sangue,
Tá tudo escurecendo e da pra ver de relance,
O pessoal da sala
O que tão fazendo
Nem bateu o sinal, eu não entendo.
Mãe o sangue é meu e tá por todos os lados
Olha pro pneu da ambulância, tá lotado!
Mãe eu to com frio e tá ficando tudo escuro,
Quando isso acabar e vou mudar, eu juro!
Por que fizeram isso comigo, o que aconteceu?
E essa lágrima no seu rosto mãe é um adeus?
Fala pro meu pai que não foi falta de sorte
Só não segui seu conselho talvez ele não suporte.
E pro meu irmão aprender com minha morte
Mãe eu te amo, me aperta bem forte!”

(Dona Kelly)
O passado e a saudade como posso apagar
Impossível esquecer não é fácil perdoar.
O passado e a saudade como posso apagar
Impossível esquecer não é fácil perdoar.

Você arrebentou com a minha vida.
Meu filho não volta mais,
Mas com tudo eu não vejo outra alternativa.
Eu te perdoo.

6. Filhos

Eu vou escrever pra você o que eu sempre quis dizer
Nessa carta que talvez você nunca vai receber.
Me desculpe desde já por favor
E tente entender a minha letra que a lágrima borrou.

Hoje é quinta-feira o dia tá nublado.
Nem fui para a escola, perdi a hora, acordei zoado.
Trancado aqui no quarto, vejo os álbuns de retrato
De como parecia que a gente era feliz
Uma foto de nós dois abraçados e depois
Outra de um aniversário de alguns anos que fiz.

Então comecei a recordar nossa historia
Tudo que vivemos juntos em nossa trajetória.
Muitas glórias, muitas crises, vários planos.
Tempos felizes de uma família em poucos anos.

Lembro perfeitamente e até posso sentir
As cócegas que você fazia pra fazer eu rir.
Como vibrava quando eu tirava 10 na escola
E me levava para empinar pipa e jogar bola.
Quando me perguntava o que eu queria ser quando crescer.
Eu dizia que queria ser como você.

Que simplesmente era o meu super-herói
E que deixou muita saudade no meu peito que dói.
É tipo assim peço por favor tente me entender.
Quando ouvir a musica que a gente fez pra você.

Sonhei, nunca faz mal sonhar.
Busquei, alguém para me espelhar.
Achei em Deus um pai, meu rei
Meu respirar…

Sonhei, nunca faz mal sonhar.
Busquei, alguém para me espelhar.
Achei em Deus um pai, meu rei
Meu respirar…

Quando me lembro, você saindo daquela porta
As bolsas nos ombros, eu pedindo, “papai volta!”
As lágrimas caiam dos meus olhos, você enxugou,
Pegou-me no colo me deu um beijo e me abraçou.

Você prometeu pro meu irmão que voltaria.
Pelo menos uma vez por semana e nos levaria
Para matar a saudade, passear na cidade.

De repente isso seria bem melhor pra gente
No começo foi realmente assim…
É, quase assim…
Acho que você sabe que foi duro pra mim, ou pra nós.
Acho que não, “cê” sumiu.
Nem viu sua filha crescer, foi rápido e sutil…

Foram poucos telefonemas, pra matar quem nos matava
No final sempre com um beijo me dizia que me amava.

Ouvia uma voz de neném bem lá no fundo
Eu sabia que você encontraria outro mundo,
Alguém para concorrer o amor que eu tanto sinto por você
E que por telefone eu não sei dizer.

Mas de que vale o amor se o senhor não tá aqui
Pra eu poder te abraçar, te beijar e sorrir.
Não sou mais aquela criança contente
Nem você aquele pai tão presente.

É tipo assim…
Peço por favor tente me entender.
Quando ouvir a música que a gente fez para você.

Sonhei, nunca faz mal sonhar.
Busquei, alguém para me espelhar.
Achei, em Deus um pai meu rei;
Meu respirar…

Sonhei, nunca faz mal sonhar.
Busquei, alguém para me espelhar.
Achei em Deus um pai meu rei;
Meu respirar…

Eu fui crescendo, vendo meus colegas
Onde eu morava que tinha um pai em casa
Mas não valorizava
Ah quem dera se eu tivesse essa oportunidade
De ter você aqui comigo no domingo a tarde
Pra me ensinar a dirigir
E dividir comigo tudo que ‘cê’ sabe
E ser o meu melhor amigo

Mas não, foi minha mãe que fez o seu papel
Ensinou-me a ser homem, e nunca me deixou ao léu
Ela disse que o amor não pode viver com a mágoa
É como o ditado do óleo que não junta com a água

Que é necessário eu te amar e esquecer todo o passado
De que vale o amor se você não tá aqui do nosso lado?
Mas eu te amo e isso me dói aqui dentro
Gostaria de mostrar com atitudes o meu sentimento
Os filhos sempre são os que sofrem mais
Com a separação dos pais.

Veja Também!  As 10 Músicas mais Tocadas de Marcela Tais

Sonhei, nunca faz mal sonhar.
Busquei, alguém para me espelhar.
Achei em Deus um pai, meu rei
Meu respirar…

Sonhei, nunca faz mal sonhar.
Busquei, alguém para me espelhar.
Eu achei em Deus um pai, meu rei
Meu respirar…

Sonhei…
Eu achei…
Meu respirar…
Hum… Hum
Oouou oh…
Meu respirar…

5. Cinderela

Já fui formosa, já fui donzela,
monumento de perfeição que revela
Charme de suprema doçura, a mais bela,
brilho de estrela,vulgo Cinderela
Já tiveram inveja da flor da minha idade,
o mel da formosura, que adoçava minha imagem
Por isso já abusaram da minha boa vontade,
respeito, bondade, virtude e coragem

Tive a infelicidade de nunca ter pai,
não sei como são, mas sei que muitos deles traem.
Esse é um dos poderes que eles tem e se apropriam,
abandonam sua cria e vão fazer outra família
Sacrilégio, já tive tédio, já sofri assédio,
será que vai ser sempre assim ,
não tem remédio?
Mas eu nasci menina com sonhos, fantasias,
um galanteador,príncipe encantado é o que eu queria

Debutante, vestido deslumbrante de cetim,
carruagem, paisagem, perfumada de alecrim
Festa no jardim, champanhe,Tim-tim,
e a valsa sem pausa, só eu e o príncipe enfim
Quem nunca tentou ser feliz, e se entregou,
assim como eu fiz
Sem medo, sem segredo.
Eu te amo meu amor, juntos pelo mundo,
aconteça o que for

Felizes para sempre até a chegada da cegonha,
fui abandonada com barriga que vergonha
Mais uma mãe usada,separada é meu fardo,
carreira mãe solteira, mais um filho bastardo
É quando um sonho de princesa vai chegando ao fim
As vezes nossa alma fica num estado,
fica pequena e arde, coração apertado

(Refrão)
Toda princesa um dia, vai se tornar rainha, mas
O tempo passa, o sonho acaba, só não pode olhar pra trás…

Que mundo hein, em um segundo,
me confundo com a dama e o vagabundo
é sempre assim o fim do quadro
É quando o sapato vai ficando apertado,
e o vestido pega dos lados, é o fim do sonho encantado
De princesa pra rainha, de beleza adivinha,
se não é a experiência e a inteligência que fica
Sabedoria rica, por favor me explica,
o que o ataque da corrosão do tempo não danifica

Aparentemente a mente nem se cogita,
mas o corpo fica gordo, em troca da filha bonita
Nessa altura a vida fica dura e muito mais sofrida
e isso multiplica quando não tem pai pras suas filhas
Que educa na luta mesmo com jornada dupla,
na raça abraça tanta desgraça que acostuma
Solteiras, separadas, traídas, viúvas,
mães que derramam suor como a chuva

(Refrão)
Toda princesa um dia, vai se tornar rainha, mas
O tempo passa, o sonho acaba, só não pode olhar pra trás…

Eu já vi, diversas mulheres da vida sofrida
jogada no canto, sozinha com sua filha recém nascida
envolvida num manto
E o pranto, resultado de uma decepção,
e a alma partida, pela separação grita por uma solução
O que será, sem profissão, e ainda sem pensão de quem sumiu

ninguém viu, acho que fugiu,
deixou sua família com frio
Mas não tremeu, agasalhou o seu bebe, foi a luta até vencer,
É quando o sonho de princesa vai chegando ao fim
Quem nunca ouviu algo assim, diz pra mim,
a história de uma moça que vivia assim

(Refrão)
Toda princesa um dia, vai se tornar rainha, mas
O tempo passa, o sonho acaba, só não pode olhar pra trás…

Você vai vencer, se Deus quiser
Esse é o pensamento de uma mulher (de uma mulher)

4. Cicatrizes

Esse som da sirene me faz lembrar daquele dia lá
Onde que por instinto não quis
Mas fiz muita gente chorar
Muita gente chorando em volta na revolta
Pedindo justiça divina e a família dizendo e agora?
Os homens de farda me levam com um carro possante
Há milhares chegam em seu destino e num instante
Abrem a porta, me tiram, me levam pra dentro
Então outro funcionário me apaga e ja não me lembro
Só lembro que estou só no mundo paralelo
De lá pra cá me sinto cada vez pior, não nego
Minha vida ta marcada por todos pra sempre
E essa marca diz que não posso ser feliz novamente
Me sinto desprezado, as vezes me acho um monstro
Mas são consequências da atitude do passado e pronto
Emprego nunca mais, casamento jamais
Mas me arrepender do que eu fiz, não, tô em paz

Ôhh, são marcas da vida que causam dor
Todos me olham ninguém me notou
Eu não ligo o que pensam de mim
São apenas cicatrizes

Naquela noite lá, nós recebemos uma chamada
De uma ocorrência tensa, nada facilitada
Preparamos a viatura, partimos pro local
Chegando lá nos deparamos com um incêndio descomunal
O fogo tinha propagado, o povo todo preocupado
Isolamos toda área, mas já tava tomado
De repente saí de lá um menino gritando
Protegendo os seus irmãos, o de três e o de cinco anos
Foi incrível, seus irmãos sem nenhum dano físico
Que coragem do mais velho, que atitude plausível
Foi um milagre, pois nem eu mesmo acreditava
Sabe, num acidente grave desses ninguém se salva
E a preocupação depois era só com o mais velho que dó
Sua situação dos três foi a pior
Queimadura de 70 por cento do corpo
Chegamos no pronto socorro com ele quase morto

Ôhh, são marcas da vida que causam dor
Todos me olham ninguém me notou
Eu não ligo o que pensam de mim
São apenas cicatrizes

Que dia triste aquele la
E desde então me sinto culpada
Fui rapidão comprar pão um tanto preocupada
Apressada então voltei, vi mas não acreditei
Meus filhos ja não estavam mas do jeito que eu deixei
Não conseguir entrar o fogo consumia tudo
Na calçada puxei a fé que tenho no salvador do mundo
E como mágica tive uma visão tão linda
Meu mais velho salvando toda minha família
Tudo que eu tinha, que eu tenho são meus diamantes
E pra mim o mais velho é mais bonito agora do que antes
E a cicatriz que toma toda parte do seu rosto
Hoje é marca do livramento, que não foi pouco
Pessoas olham na rua e ignoram sem saber
A história de um jovem mais forte que os heróis da TV
Não julgue sem conhecer, foi com ele, mas pense
Poderia ser você

Ôhh, são marcas da vida que causam dor
Todos me olham ninguém me notou
Eu não ligo o que pensam de mim
São apenas cicatrizes

3. Vaso

Num certo dia nebuloso um pouco chuvoso e frio
Me encontrei preguiçoso vendo um vídeo com poucos views
Na pele arrepio, bem nervoso, aprecio
Curioso pra ver o final que ainda ninguém viu

A lágrima que escorre dos meus olhos sem que eu mande
Seco com a manga da camisa com restos de pão
O roteirista que não alisa com o suspense que é grande
E antes do fim algo forte tocou meu coração

E num instante percebi que era a minha história
Não era Netflix, e já era six aquela hora
Ora, vi minha vida toda, e tudo que joguei fora
Não fui uma pessoa amável a toa até agora

Vou pro espelho vejo quem só eu conheço
Meço a luz pra selfie, me deparo com esse tio
Quando percebo a lata que é capa eu desço
Já tá na hora de partir desse mundo hostil

Desce como um vaso velho e quebrado
Sobe como um vaso novo
Desce como um vaso velho e quebrado
Sobe como um vaso novo

Aleluia – aleluia
Aleluia – aleluia

Peço pra quem achar esses escritos espalhem
Os que me conhecem sabem muito bem
Que desse jeito que tá, não dá e se pá
Já já vou me encontrar em águas puras amém

Desisto dessa vida, deixa quieto me entrego
Convém que eu diminua, trate mate meu ego
Vivendo cego e surdo, mais falante que tudo
Só tinha ouvidos pro mundo ta certo eu fui um prego

E assim que eu me acho hoje, sem máscaras
To a fim de nascer de novo, e quem viver verás
E pra que isso aconteça, esse aqui hoje morrerás
E antes que alguém perceba esse aqui, aqui jáz

Peço um minuto de silêncio em respeito e paz
Tô indo pra não voltar mais a viver assim
Me sinto bem melhor com essa decisão voraz
Me traz a bata branca é o inicio ou fim?

Desce como um vaso velho e quebrado
Sobe como um vaso novo
Desce como um vaso velho e quebrado
Sobe como um vaso novo

Aleluia – aleluia
Aleluia – aleluia

2. 1980

A história se iniciou em 1977
Com uma bela moça do nordeste, cabra da peste,
Que se apaixonou por um cara de black ,que segue
O estilo e o jeito dos 5 sujeitos, irmãos Jack.

Passaram 2 anos fizeram planos, concretizaram,
Distribuíram convites pros manos e se casaram
O ano passou muito rápido, mais que raio
Foram atropelados juntos na 23 de maio.
3 meses internada no Hospital São Paulo com dor
Que horror, desenganada pelo doutor
Fraturas múltiplas por todo seu esqueleto
E o doutor dizia que não tinha mais jeito,
Disse pra mãe daquela moça pra doar as suas roupas
Que a probabilidade de vida era bem pouca,
E a mãe da paciente que estava quase louca, afoita
Pra que Deus curasse logo a sua moça
E como uma louça quebrada, lá estava
Recém casada, desenganada, impossível de ser restaurada
No leito sem jeito pra profissionais da medicina
Mas um milagre estava para acontecer em sua vida

Veja Também!  De Adentro Hacia Afuera | Confira a letra da música de Julia Vitória!

Pode um milagre enfim (enfim), acontecer
Quando você acreditar (acreditar), acreditar
É só você crer

Desentubada foi pois, começou a respirar
Sozinha andar, naquela sala que cheirava muito mal,
Tava mal, que cheiro mal
Mais isso não importava, o cheiro não era nada em relação ao principal
Cirurgias com uma certa emergência,
Crânio, perna ,leta, fêmur, bacia urgência
Rasparam sua cabeça, estava quase cega
Quando ela abriu os olhos, estava com amnésia
Mais com 20% de melhora, teve que ir embora
Recebeu alta para ceder a vaga rara a outra senhora
O doutor arrumou uma cadeira de rodas e um par de muletas pra locomoção
Pra fazer os exames de semana em semana tinha raio X
E o seu marido que no acidente só quebrou a perna
Estava em casa muito tempo esperando por ela
Depois de 3 meses ela voltou ao hospital
Dizendo ao médico que estava atrasada sua regra menstrual
Disse também que estava com suspeitas de estar grávida
Sátiras, rá!
Doutor disse: Só se for mágica
Fizeram alguns exames de gravidez
E foi comprovado positivo de 1 mês
E o feto que tinha sido feito recente
Ajudando a paciente na recuperação do acidente
Produzindo hormônios mais rapidamente
E sua mente voltou ao normal, e o pessoal dizia:
Entende, tire o feto deficiente se a criança nascer você vai ter problemas pra sempre
E o médico pediu pra ela optar criança ou o tratamento
Porque eram muito fortes os exames e medicamentos
E disse mais que se a criança nascesse
Teria problemas mentais, físicos e se não morresse
E que no dia do parto ela também poderia chegar a morrer
Mentira!
Um milagre estava pra acontecer em sua vida

Pode um milagre enfim (enfim), acontecer
Quando você acreditar (acreditar), acreditar
É só você crer

Alguns meses depois …
Ela estava preparada
Já na mesa do parto com muita dor e preocupada
Hospital São Paulo, 22 anos antes do penta
Dia 9 de abril 1980
Nasce a criança com saúde e forte estava
Ninguém acreditava, o médico até chorava
Pois ele acompanhou aquela mulher que teve fé
Que bateu o pé e acreditou no Deus do céu que a honrou
E a criança foi crescendo com o tempo zuera até umas hora
Deixava as tias com cabelo branco pro alto na escola
Umas desciam do salto alto, outras nem dava bola
Um dos mais inteligentes da sala de aula
Sua infância foi bem vivida na rua era da hora
Até ver seu pai já ausente, que de casa foi embora
Ficou muito rebelde em meio sua adolescência
Começou a usar drogas por más influências
Mas num certo dia por um sonho sua vida ia mudar
Pois Deus estava prestes a por seu plano em prática
Até que enfim, o dia chegou estava tudo preparado
E no sonho Deus dizia que estava muito preocupado
Pedia pra eu pedir perdão por todos meus pecados
E eu sentia tudo aquilo como se fosse acordado
Fiquei arrepiado, acordei desesperado
Encontrei o esperado, me coloquei ajoelhado
Aceitei a Jesus como Senhor e fui tocado
Pelo Espírito Santo que por Deus foi enviado
A partir daquele dia tenho andado com o Cristo
Pois reconheço que minha vida é um milagre desde o início

É só você crer, você crer…

Pode um milagre enfim (enfim), acontecer
Quando você acreditar (acreditar), acreditar
É só você crer, você crer, você crer, você crer

1. Naquela Sala

Gemidos numa noite de domingo madrugada
Lágrimas em gotas em pingos são enxugadas
Vozes soadas com gritos em doses meio falhadas
Abraços em amigos que trazem uma palavra

Lembranças já vêm da pequena criança que
(Nem tinha maldade na mente)
Dependente da mãe que era crente no pai
(Era apenas um garoto inocente)

Lembranças da criança em seu colo balançando
Quando triste ainda com fome em seu colo só que chorando
Sua mãe lembra da sua formatura do prézinho
Um bom menino no aniversário de cinco aninhos

E pra comemorar o aniversário tinha uma pá de criança em volta
De um bolo feito de fubá
Com seu pai desempregado não tinha dinheiro nem pra mistura
Sua mãe sem poder dar um presente sentia culpa

Sabe quanto eu lutei
Pra fazer você feliz
Eu te eduquei não tinha dinheiro
Mas te ensinei
A minha parte eu sei que eu fiz

Sabe quanto eu lutei
Pra fazer você feliz
Eu te eduquei não tinha dinheiro
Mas te ensinei
A minha parte eu sei que eu fiz

Maiorzinho ele estava, da sua idade o mais ligeiro
Cabulava aula pra empinar pipa o dia inteiro
Era novo mais se ligava no movimento
De pouco em pouco lhe falavam que ele tinha mó talento
Um dia ele viu um maluco com um boot muito louco
Pediu um igual pra mãe e tomou coqui no coco
Não entendeu porque outro podia ter e ele não
Estava cansado daquela miséria, de toda aquela situação
Com 13 anos de idade recebeu um bom presente
Da malandragem de onde morava, ficou contente
Uma proposta, cem reais pra levar mercadoria
Era fácil é só entregar, e depois só alegria

Chegou esse garoto em sua casa esse dia
Com mistura sacolas de danone a reveria
Surpresa, sua mãe quando abriu a geladeira
Deu sermão em seu filho com seu marido a noite inteira
“Aonde você arrumou?
Que mercado cê roubou? Nunca te ensinamos isso
Mãe não roubei, esse dinheiro eu conquistei
Ganhei com o esforço de meu serviço, é isso!
Você nem trabalha menino! Quem te deu serviço assim tão novo tão cedo?

E mesmo assim isso é estranho pra mim
Por que é que tem muito dinheiro
Foi sermão a noite inteira, mas pra ele valeu a pena
Foi diferente de outros dias, dormiu de barriga cheia
Acordou cedo e disposto sem medo para o trabalho
Entregaram uma arma na mão desse frangalho
Disseram que ele teria que cobrar uma dívida
De um nóia que se pá ele teria que matar
Gelô, falo, pros malucos “aí num dá”
E os malucos disse “tá na chuva é pra se molhar”
Quer coragem, então cheira dessa carreira
Que com isso aqui você vai ter coragem pra matar a noite inteira
E assim foi se tornando o mais psico da quebrada
Matava sem dor e sem dó, ossos do ofício, só pelo pó
A cocaína lhe fazia mais homem nessa sangria
Um dia ele matou um homem com quinze tiros e ainda ria
Sua mãe, sua amiga, de corrida a vida inteira
Já previa e sentia o que no futuro aconteceria

Sabe quanto eu lutei
Pra fazer você feliz
Eu te eduquei não tinha dinheiro
Mas te ensinei
A minha parte eu sei que eu fiz

Sabe quanto eu lutei
Pra fazer você feliz
Eu te eduquei não tinha dinheiro
Mas te ensinei
A minha parte eu sei que eu fiz

E certo dia o jovem que era tirado pela maioria
Só por que dizia que era crente e Jesus em sua vida sentia
Parou esse garoto e disse pra ele mudar de vida
Que aquela era sua chance que Jesus o ajudaria
Nem deixou o crente terminar, já saiu socando
Dando coronhada na cara e na nuca do fulano
Gritando, tá tirando, que mudar de vida, tá tirando
Quer que eu volte a passar fome, eu sou malandro
Ele se achava mais homem que qualquer um
Uns diziam que ele tinha jurado um tal de mussum
E na noite passada sua mãe ouviu uma pá de tiro
Saiu lá pra fora e viu o tal mussum matar seu filho
Saiu correndo e disse
“Deus, cê sabe que eu fiz de tudo
Mas ele não me ouviu e preferiu esse outro mundo”
No velório o pai e a mãe chorando, poucas palavras
Conversavam com o corpo do filho morto naquela sala

Sabe quanto eu lutei
Pra fazer você feliz
Eu te eduquei não tinha dinheiro
Mas te ensinei
A minha parte eu sei que eu fiz

Sabe quanto eu lutei
Pra fazer você feliz
Eu te eduquei não tinha dinheiro
Mas te ensinei
A minha parte eu sei que eu fiz

Por ter cessado sua existência terrena
Entregaremos seu corpo a terra
Terra a terra, cinza a cinza, pó ao pó
O espírito nós os deixamos nas mãos de Deus
Esse é o ponto final de uma vida, no sepulcro não há obras
Nem conhecimento nem sabedoria, e a ele todos nós iremos cedo ou tarde
Confiemos naquele que diz
-Eu sou a ressurreição e a vida aquele que crê em mim
Ainda que esteja morto viverá

Conhece todas as músicas da lista? Deixe seu comentário!

 
Siga o Somos de Cristo também no Google Notícias, CLIQUE AQUI e em seguida aperte em "Seguir"   

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here